Completinho Por Favor | Sexo Anal É O Prato Da Vez

Completinho Por Favor! Sexo anal é o prato da vez…

Um dos motivos pelos quais o homem busca sexo fora de casa é o tal do sexo anal, sim um motivo torpe e banal, mas nós homens somos assim, criaturas simples, nos movemos em benefício do nosso pau, alguns buscam acompanhantes, outros secretárias gostosas e tem quem prefira coroas experientes. Mas comer um cuzinho, nunca foi tarefa fácil!

Vamos começar pela namorada, tem toda aquela lenga-lenga, chama pra sair, leva para jantar, tem que ser romântico, até chegar ao olho de tandera é uma novela, que só pode iniciar depois da novela!  Se a sua namorada ainda for  “inexperiente” ou vulgarmente falando, virgem de cu, a coisa fica ainda mais complicada, minha dica para esse momento fica “naqueles dias” as mulheres parecem ficar mais taradas no famoso período do “chico”. Tive a sorte de ter uma namorada que só usava O.B, certo dia, durante aqueles dias resolvi provocar a danada, sem muitas pretensões já que aquele era um lugar proibido, não queria mais que uma chupada naquele momento, mas, algumas dedilhadas, muito sarro e meu p…. já estava doendo e foi assim que de repente comi meu primeiro cu. Não foram mais que dois minutos que meus estimado pau ficou lá dentro, fui vencido logo no primeiro assalto, meu estado de êxtase foi cortado pelo grito dela: “Seu filho da p…., tanta dor para nem me fazer gozar.” O fato é que um mundo novo tinha chegado atém mim.

Quando terminamos em meio aquela D.R que toda a mulher adora ter ela disse que eu um dia sentiria falta dela, e isso de fato não demorou muito para acontecer,  toda a mulher que eu comia era incompleta, como aquele cuzinho me fazia falta, um dia na mesa do bar um amigo falou de uma garota com quem havia saído e pago pelos serviços, em pouco tempo eu estaria viciado em serviços de acompanhantes em Brasília, no meu imenso vocabulário sexual apenas uma palavra fazia sentido, e para me ver sorrindo era só escutar o completinho, lá estava eu, imerso no mundo da putaria, mas passou o tempo,  e a popularidade do K.Y entre as garotas de programa passou a me incomodar, em algumas meu nobre colega parecia nadar em um oceano gelado, nada de resistência nem calor humano.

Foi então que conheci a Célia(nome fictício), 46 anos e com o corpo de uma panicat, conheci ela, na academia, gluteos firmes, é somente disso que me lembro quando apalpei aquela bunda com mão, em menos de duas horas, entre um suco e uma carona ela já estava no meu apartamento, sem firulas, sem romantismo, apenas o bom e velho sexo selvagem, e quanta selvageria ela tinha para me mostrar, pouco desfrutei das partes da frente, Célia gostava da parte dos fundos, de quatro ela implorava para ir mais fundo e não faltavam conversas de bar em que Célia não fosse a conversa do dia. Certo dia fui surpreendido com uma mensagem de adeus, sem mais delongas ele disse ter mudado para o Rio, sorte de algum carioca que tenha tempo livre durante as tardes para satisfazer o seu desejo quase insaciável. Em pouco tempo estava eu novamente imerso no adorável mundo das acompanhantes de Brasília!